PROJETO “NON VIOLENCE”


A escultura foi criada em resposta ao assassinato de John Lennon em 1980. Sua esposa Yoko Ono solicitou o estudo ao artista Carl Fredrik Reutersward e nomeou sua escultura de Non-Violence.

A escultura em bronze da Não Violência foi colocada em mais de 30 lugares em todo o mundo. A mais famosa está  em frente as Nações Unidas, em Nova Iorque.

A imagem da arma atada tornou-se o logotipo do Projeto Não Governamental à Não Violência, fundado em 1993. A representação  é realista, mas muito ampliada e significativa, de acordo com a missão de paz das Nações Unidas. 

A imagem desta escultura foi objeto de selos postais, capas de livros, brochuras e programas de conferências, geralmente em conexão com a questão das armas.

A exposição da  escultura tem por objetivo apresentar  o Projeto, que procura ajudar os alunos a entender como resolver conflitos de forma pacífica. 

O evento foi idealizado para incentivar os alunos a criarem um desenho em folha com uma Mensagem de Paz, e será avaliado pela artista plástica Beatriz de Carvalho, que escolherá a melhor representação, para reproduzir em uma nova escultura  que será exposta na Praça Mauá, em Santos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

5º A VISITA O ENGENHO DE SÃO JORGE DOS ERASMOS


Hoje fomos conhecer as ruínas do Engenho de São Jorge dos Erasmos, que fica na Zona Noroeste de Santos. Ele foi construído por Martim Afonso de Souza em 1532 para gerar riqueza e fazer com que os colonos decidissem ficar por aqui.
Nós conhecemos o cemitério, onde foram encontradas 19 ossadas humanas, inclusive de uma criança. Os historiadores acreditam que, naquela época, havia exploração do trabalho infantil. Os escravos que trabalhavam no Engenho nos primeiros anos de atividade não eram africanos, mas sim indígenas da região. Em seguida, vimos onde havia uma Igreja e, ao lado, ficava o paiol, pois o local precisava de proteção porque o açúcar, naquela época, era tão valioso quanto o ouro.
Depois conhecemos a cana-de-açúcar, pois há uma pequena plantação para os visitantes conhecerem como ela é.
Na sequência, fomos à casa da moenda ou de engenho, à casa das fornalhas, à casa das caldeiras ou dos cobres e à casa de purgar. Aprendemos como eles moíam a cana, depois ferviam a garapa até formar o melado, que era colocado no pão de açúcar para endurecer. O bagaço da cana era usado como combustível para manter o fogo sob os tonéis. Com o que sobrava do caldo, eles faziam rapadura e cachaça, mas era muito pouco. A maior riqueza era o açúcar para adoçar os alimentos.
As duas monitoras que nos atenderam são muito legais, nos explicaram tudo e responderam às nossas perguntas com muita paciência.
Quem quiser visitar o Engenho, pode acessar o site ou telefonar. Visitas monitoradas podem ser agendadas pelo telefone (13) 3203-3901.
É um lugar muito interessante e lindo também!
O bem cultural situado na Rua Alan Cíber Pinto, 96, na Vila São Jorge, Santos está aberto à visitação, diariamente, das 9h às 16h.
Facebook: facebook.com/engenhodoserasmos

Site: www.usp.br/prc/engenho

OU: http://www.turismosantos.com.br/ptb/guia-de-santos/locais/ir/atracoes-em-santos/zona-noroeste/engenho-dos-erasmos

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Projeto de Valorização do Patrimônio Escolar e Cidadania – 4


Hoje nós colocamos sementes de cebola, alface, beterraba, tomate, cenoura, abóbora, chá, hortelã, entre outros, dentro dos potes que pintamos na semana passada. Nós enchemos os potes de terra e cavamos alguns buracos para enterrar as sementes. As que plantamos são de vários formatos: redondas, esticadas, grossas, finas, marrons, vermelhas, bege, pretas e verdes. Pegamos as plantas de manjericão e beterraba e transferimos para os potes maiores porque a terra antiga estava causando fungos. Foi muito divertido e legal conhecer sementes novas.

Texto escrito pelas alunas:

Kamilla Fagundes de Moraes

Maria Clara Fernandes Lopes

3º ano B

Este slideshow necessita de JavaScript.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 51 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: